Reforço do dispositivo no distrito de Castelo Branco

O combate aos incêndios florestais no distrito de Castelo Branco teve um reforço de meios nesta fase do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, que decorre ao longo deste mês.

Esta fase conta com 122 equipas, 612 operacionais e 141 viaturas, sendo que estes números incluem todos os agentes distritais de Protecção Civil, ou seja, Força Especial de Protecção Civil, bombeiros, GNR, PSP, Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta, Câmaras Municipais e Rede Nacional de Postos de Vigia.

"Nunca tivemos um nível [empenhamento] três tão reforçado como este ano. Dentro do plano inicial, houve um reforço do dispositivo relativamente ao ano passado, que foi proposto superiormente e que foi aceite", afirmou à agência Lusa o segundo Comandante Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco, Amândio Nunes, que falava a propósito do Plano de Operações Distrital para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais 2019.

Já quanto aos meios disponibilizados só pelas 12 corporações de bombeiros do distrito de Castelo Branco, existem 41 equipas, 194 operacionais e 45 viaturas. Em relação aos meios aéreos, o distrito conta com três helicópteros (um médio estacionado em Castelo Branco e dois ligeiros, na Covilhã e em Proença-a-Nova) e dois aviões médios, que ficam em Proença-a-Nova.

Na próxima fase do dispositivo, de 01 Julho e 30 de Setembro, o distrito de Castelo Branco vai contar com um total de 165 equipas, 787 operacionais e 175 viaturas. Nesse período, os meios disponibilizados só pelas corporações de bombeiros distritais será de 64 equipas, 289 operacionais e 71 viaturas.

Até ao momento, o segundo Comandante Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco explica que o distrito tem registado vários incêndios diários, mas todos eles com origem em queimadas ou através da utilização de maquinaria agrícola, e deixa por isso um apelo aos cidadãos para que "evitem comportamentos de risco".