Central Biomassa de Belmonte sem desenvolvimentos

Há cerca de um ano, o presidente da Câmara Municipal de Belmonte revelou que haveria um grupo interessado em avançar para a aquisição da Central de Biomassa que foi construída no concelho em 2010 pela empresa “Tavfer”. Um investimento de oito milhões de euros com uma capacidade de produção de dois megawatts de energia mas que se encontra sem qualquer actividade há cerca de três anos.

Questionado sobre o assunto, António Dias Rocha, afirma que “nunca mais fomos contactados. A empresa que nos mostrou interesse nesse projecto estabeleceu esse contacto através de um advogado do Porto mas nunca mais nos disse nada. De qualquer forma, e uma vez que temos boas relações com o proprietário, vamos tentar falar com ele e saber quais são as intenções dele em relação ao futuro”. Houve interesse de uma empresa em adquirir a central de Biomassa de Belmonte e coloca-la novamente em laboração. Para que o investimento fosse viável era necessário que a produção fosse duplicada. Mas para já não houve desenvolvimentos sobre esta matéria.

Uma pretensão que há cerca de um ano, o então Secretário de Estado da Energia prometeu analisar. Jorge Seguro considerava que a concretização deste investimento era um passo importante para o concelho e importava encontrar a melhor solução para que a central voltasse a laborar, “como sabem o Secretário de Estado da energia, que é um homem de Penamacor e que gosta muito de Belmonte, foi substituído no cargo e eu sei que ele estava muito interessado em resolver este problema e temos de encontrar uma solução. Ou a central começa a funcionar ou então temos ali um mono. E se há matéria-prima para colocar a funcionar a estrutura do Fundão que é uma coisa grandiosa, não há matéria-prima para que a de Belmonte possa também funcionar? É uma coisa que me preocupa. A informação que havia na altura é que a estrutura para ser rentável tinha de duplicar a sua capacidade de intervenção. Vamos ver o que acontece”, disse António Dias Rocha.

Na região, a Central de Biomassa do Fundão vai começar a funcionar em pleno dentro de sensivelmente dois meses. O prazo é avançado pelo promotor do investimento que está sediado na zona industrial do Fundão. A fase de testes do equipamento já se iniciou e o empresário acredita que até final de Julho a central vai estar a funcionar em velocidade de cruzeiro.